quarta-feira, 17 de abril de 2024
Grupo Tecar abre em média uma concessionária por ano

Grupo Tecar abre em média uma concessionária por ano

Entre os três maiores revendedores de veículos de Goiás, o grupo goiano Tecar vai inaugurar em breve a sua 25ª concessionária. Com 24 anos de mercado, significa que a empresa tem inaugurado uma loja por ano para a expansão da sua rede em Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal. Para isto, o grupo realiza investimentos […]

1 de outubro de 2017

João Normanha deixou a profissão de médico para investir no sonho de ter sua própria concessionária

Entre os três maiores revendedores de veículos de Goiás, o grupo goiano Tecar vai inaugurar em breve a sua 25ª concessionária. Com 24 anos de mercado, significa que a empresa tem inaugurado uma loja por ano para a expansão da sua rede em Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal. Para isto, o grupo realiza investimentos entre R$ 50 milhões e R$ 60 milhões por ano, principalmente na aquisição de imóveis próprios e pagamento de direitos de concessão de marcas (bandeiras). A Tecar tem atualmente 18% do mercado goiano de veículos e vende anualmente 7.500 carros por ano no Estado.

A nova concessionária trará para o grupo a sua oitava marca de veículos (por ora, é mantida em sigilo), que já representa as montadoras Fiat, Volkswagen, Honda, Renault, Mercedes-Benz, Jeep e Iveco. A rede goiana emprega cerca de 1.500 funcionários e possui 22 sedes próprias, do total de 24 operações, informa o presidente e fundador do grupo, João Maurício Normanha, ao EMPREENDER EM GOIÁS.

“Quando comecei a mexer com carro, não acreditava que seria concessionário. Na minha adolescência, concessão era título de nobreza, ninguém a vendia. Por isso que eu devo muito à Fiat, que me deu essa oportunidade e me ajudou a crescer”, diz o empresário, que deixou de a profissão de médico radiologista, exercida por 17 anos, para ser empreender no ramo automotivo.

Crescer na crise
Segundo o presidente da Tecar, a grave crise econômica no País começou a ser sentida pela empresa em março de 2015 e ainda afeta os seus negócios. Ainda assim, às vésperas do 30º mês de recessão, Normanha afirma que o grupo nunca encerrou os balanços mensais no vermelho e praticamente não possui dívidas, a não ser as exclusivas com as montadoras. “A Tecar está saindo dessa crise agora, mas entramos nela já enxutos. Nunca fomos uma empresa inchada nem de modismos. Fazemos um negócio sério, não mentimos para o cliente. Essa é uma marca nossa”, enfatiza.

Outro elemento importante para a manutenção da boa situação econômica do grupo durante a crise foram as auditorias em todos os negócios da empresa. Com isto, foi possível reduzir a inadimplência na empresa e com consumidores má intencionados, inclusive as reclamações no Procon, porque todas as transações são muito bem documentadas.

As crises também geram oportunidades de negócios. Normanha prevê para os próximos seis meses forte aquecimento nos negócios de aquisições, como resultado do desajuste econômico enfrentado por algumas concessionárias. “A melhora vai ser muito lenta, vai ter muita gente perdendo fôlego, muitas fusões acontecendo e outros saindo do mercado”, afirma o presidente do Grupo Tecar, que não esconde os planos de continuar a investir em expansão da sua rede, principalmente no mercado voltado para as marcas premium.

A concessionária com o maior faturamento do grupo hoje é a da bandeira Mercedes-Benz Brasília, seguida pela Honda em Goiânia. “Acreditamos e apostamos num outro viés, porque o mercado nunca voltará a ser o que era. A gente quer investir em marca premium, em cidades que têm alto poder aquisitivo, como Uberlândia, Goiânia e Brasília. O mercado caminha para isso”, analisa o empresário, que enfatiza a pretensão do grupo de crescer no Centro-Oeste, principalmente em Goiás.

João Normanha também aponta para mudanças significativas no mercado de automóveis, com o estabelecimento dos carros híbridos e elétricos. Segundo ele, esse será um novo parâmetro para a definição de quais marcas ficam ou saem do mercado, sendo que, apenas aquelas com condições de abarcar essas novas tecnologias vão permanecer no negócio. “Concordo com o presidente da Mercedes que diz que os grandes concorrentes, daqui a cinco anos, serão empresas como a Google, a Amazon, a Apple, a Tesla”, frisa.

DE CONSULTÓRIO PARA REVENDA DE CARROS

A concessionária Fiat no Setor Santa Genoveva em Goiânia foi a primeira do Grupo Tecar

A história do Grupo Tecar começou no estacionamento da clínica da família, que ficava no Centro de Goiânia, na esquina das Avenidas Goiás e Paranaíba. Nos intervalos entre um paciente e outro, o médico João Normanha começou a revender automóveis novos que comprava de concessionárias, cujos donos eram seus amigos. A revenda improvisada durou cerca de cinco anos e, embora ele tenha recebido proposta de sociedade para outra concessionária, Normanha arriscou a abrir a sua própria empresa, em Goiânia.

“A nossa empresa nasceu em maio de 1993, exclusivamente como concessionário Fiat, e crescemos junto com a marca, que se tornou líder em 1999”, lembra Normanha, que ainda exerceu por mais de um ano a atividade de médico depois de abrir sua primeira concessionária, mas a paixão pelos carros e o dom pelo comércio foram mais altos, até que resolveu abandonar o consultório, uma decisão nada fácil de contar aos pais, brinca hoje o empresário.

Quatro anos depois, em pleno Salão do Automóvel de 1996, Normanha recebe convite e fecha negócio para atuar, também com a Fiat, em Belo Horizonte, onde abre duas concessionárias (matriz e filial). Daí para a frente, a empresa começa a incorporar novas marcas e a abrir mais lojas: primeiro a Iveco Caminhões (Aparecida de Goiânia, Brasília e Rio Verde), Tecar Renault (Brasília e Goiânia), Tecar Honda (Goiânia e Anápolis), Volkswagen (Belo Horizonte e Brasília), Mercedes-Benz (Brasília, Uberlândia e Goiânia) e Jeep (Goiânia, Aparecida e Belo Horizonte). Há também outras unidades da Fiat em Brasília, Goiânia e Aparecida de Goiânia.

Sucessão
João Normanha ocupa a presidência do Grupo Tecar e sua equipe principal é composta pelo casal de filhos. João Henrique Normanha comanda as concessionárias de Brasília e Mariana Normanha está à frente das unidades de Belo Horizonte. Em Goiânia, o pai e presidente tem, como braço direito, o gerente comercial do grupo, Fernando de Faria. “A preparação para a minha sucessão está acontecendo espontaneamente”, afirma o fundador.

 

Wanderley de Faria é jornalista especializado em Economia e Negócios, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA/FEA/USP - BM&FBovespa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.

7 thoughts on “Grupo Tecar abre em média uma concessionária por ano”

  1. Juscileia Lira disse:

    Parabéns ,Dr. João e a todos que fazem parte do grupo TECAR.

  2. Jurandir reis disse:

    Muito bom vc .ler uma instoria tão verdadeira dessa .pois eu estava no começo disso tudo .e estou até hj.junto nessa instoria contada .grande abraço .

  3. Bento Saeta disse:

    Goiânia tem bons e bem
    Sucedidos empreendedores!
    João Normanha está entre eles com destaque pela pujança aliada a visão comercial que lhe é nata!

  4. Saritha Nogueira disse:

    Parabéns aos irmãos, João e Léo Normanha pela iniciativa de empreender de forma tão magestosa o grupo Tecar. Conheço a história do início e sei que João tem uma grande pessoa como sócio que é seu irmão e também médico radiologista, Dr. Leonardo Normanha que investiu muito no grupo e na sociedade para que se tornasse o sucesso que é hoje.
    Parabéns pelo sucesso de vocês!

  5. Dorvilê Marinho Borges disse:

    Resultado de trabalho, visão, zelo, mas principalmente, da filosofia que leva em conta não a riqueza das pessoas físicas que a diregem e sim a riqueza do empreendimento. Parabéns Dr. João, Demais Diretores(as) e profissionais Tecar.

  6. Marcelo S Santana disse:

    Grande homem e um excepcional empresário, que acredita mo trabalho sério e com ética como agentes transformadores da nossa economia. Parabéns De Joao e toda família TECAR.

  7. Marlon disse:

    O principal o grupo tecar não tem
    Compromisso com o cliente
    Estou há mais de 1 mês esperando eles me devolver um dinheiro de entrada qui ia comprar um veículo com eles
    O gerente jucinei da tecar Candangolândia
    Ele fogem não atende o cliente
    Ou seja este gerente não resolve nada