segunda-feira, 22 de julho de 2024
Alimentos de fabricação goiana ganham selo de qualidade

Alimentos de fabricação goiana ganham selo de qualidade

As indústrias de alimentos goianas que adotam boas práticas de fabricação e controle de riscos de contaminação têm a oportunidade de ganhar um certificado de procedência e boa qualidade de seus produtos. O Sindicato da Indústria da Alimentação no Estado de Goiás (Siaeg) criou o Selo Alimento Confiável para estimular as empresas a buscarem excelência […]

11 de outubro de 2017

Denise de Oliveira, da Siaeg: “Queremos constituir um selo que realmente transmita garantia de qualidade”

As indústrias de alimentos goianas que adotam boas práticas de fabricação e controle de riscos de contaminação têm a oportunidade de ganhar um certificado de procedência e boa qualidade de seus produtos. O Sindicato da Indústria da Alimentação no Estado de Goiás (Siaeg) criou o Selo Alimento Confiável para estimular as empresas a buscarem excelência na produção, melhoria contínua de processos e segurança dos produtos que chegam ao consumidor.

A certificação é baseada no cumprimento de regras instituídas pela legislação sanitária para a indústria de alimentação. As empresas devem obedecer a critérios que vão desde a sua legalidade, instalações e equipamentos adequados, padrões de higienização e produção, controle de qualidade e de mercado, até a embalagem e rotulagem dos produtos.

“Queremos constituir um selo que realmente transmita uma garantia de qualidade, para que o consumidor reconheça, nele, o diferencial dos produtos e empresas certificadas, e tenha confiança nisso”, afirma ao EMPREENDER EM GOIÁS a diretora-executiva da Siaeg, Denise de Oliveira Resende, que está à frente do projeto. Uma das irregularidades mais recorrentes entre as pequenas indústrias está ligada a problemas de estrutura física. Já nas empresas maiores, é mais comum
a ocorrência de desajustes na prevenção de riscos, como controle de temperatura e da qualidade da água, além de contaminação de matérias-primas.

Subsídios
No primeiro momento 40 indústrias goianas vão receber subsídios para os custos com auditorias dentro do programa, nos valores de R$ 1 mil (pequenas indústrias), R$ 2 mil (médias) e R$ 3 mil (grandes). A meta é alcançar 500 empresas em dois anos. Quatro indústrias, que participaram do processo de validação do projeto, já foram auditadas e certificadas, com o Selo Alimento Confiável: GSA Alimentos, Grupo Rei do Milho, Vovó Nice Salgados e Fast Açaí.

O Programa e Selo Alimento Confiável serão lançados, oficialmente, na segunda-feira (16), às 14 horas, no Auditório Mauro Borges, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira. A cerimônia terá a participação de representantes de todas as entidades parceiras: Siaeg, Sebrae, Federação das Indústrias (Fieg) e governo do Estado. A programação segue com palestras sobre qualidade, cadeia de alimentos e Selo Alimento Confiável.

Como funciona
A adesão ao Programa Alimento Confiável é voluntária e aberta a praticamente todos os segmentos da indústria da alimentação (exceção apenas para gelados comestíveis, amendoim, palmito, carne, leite e água mineral, que têm especificidades próprias de produção e avaliação). Os interessados podem baixar a ficha cadastral direto no site do projeto (http://alimentoconfiavel.com.br) e entrar em contato com o Siaeg (62 3224-4253).

Na prática, as indústrias que se cadastram no projeto passam por um processo de certificação com, basicamente, três etapas. Na primeira, a empresa deve fazer uma autoavaliação, levando em conta os mesmos critérios e instrumentos da auditoria. Com isso, ela gera um diagnóstico e verifica o que pode e deve ser melhorado. Na segunda fase, a indústria passa pela inspeção da auditoria contratada. Uma equipe faz o levantamento, identifica as possíveis irregularidades, emite relatório, mostra os pontos de melhoria, discute e orienta os avaliados.

A partir desses apontamentos, a empresa recebe um prazo para realizar as adequações, que varia conforme o tipo de irregularidade e pode chegar a 180 dias. Só depois que a indústria atender todos os critérios, ela é certificada e ganha o direito de usar o selo para os produtos avaliados. A certificação precisa ser renovada anualmente.

A diretora-executiva do Siaeg destaca o caráter evolutivo do Programa Alimento Confiável, que vai diversificar e aprofundar o nível de avaliação do produto ao longo do tempo. No primeiro ano, a certificação preocupa-se em averiguar a infraestrutura e os processos de boas práticas nas indústrias. No segundo, a análise é voltada para o controle do produto final, com pesquisa físico-química e microbiológica em laboratório. E, no terceiro ano, é feito um diagnóstico para verificar o que o produto necessita para atender os padrões internacionais. “Aqui, não temos a finalidade de penalizar a indústria. O que queremos é construir com ela uma cultura de qualidade. A ideia é que isso vá evoluindo, gradualmente”, conclui Denise Resende.

O portal EMPREENDER EM GOIÁS tem como principal objetivo incentivar, apoiar e divulgar os empreendedores goianos com conteúdos, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.