domingo, 19 de maio de 2024
Crédito ainda é entrave para empreendedorismo feminino

Crédito ainda é entrave para empreendedorismo feminino

Elas entram no mundo dos negócios por meio de empreendimentos ligados ao setor de serviços e, ao longo da jornada, precisam desenvolver a resiliência para conciliar múltiplos papéis e vencer entraves, como a dificuldade para obter crédito. Questões como estas, enfrentadas pelas mulheres empreendedoras, serão abordados em palestra gratuita em Goiânia nesta terça-feira (dia 27), […]

27 de março de 2018

Da especialista em empreendedorismo feminino, Ana Fontes: “Mulheres precisam muito de apoio”

Elas entram no mundo dos negócios por meio de empreendimentos ligados ao setor de serviços e, ao longo da jornada, precisam desenvolver a resiliência para conciliar múltiplos papéis e vencer entraves, como a dificuldade para obter crédito. Questões como estas, enfrentadas pelas mulheres empreendedoras, serão abordados em palestra gratuita em Goiânia nesta terça-feira (dia 27), numa realização do Núcleo Mulheres do Brasil Goiás. A especialista em empreendedorismo feminino Ana Fontes falará sobre o assunto, a partir das 16h30, no auditório do Sebrae Goiás.

Fundadora da Rede Mulher Empreendedora, Ana Fontes atua no setor há uma década e avalia que o acesso ao crédito ainda é um dos gargalos enfrentados pela mulher que decide abrir o próprio negócio. Esse cenário, explica, é fruto de uma combinação de fatores. “O tipo de negócio é diferente, começa menor e mais caseiro. Elas também são mais precavidas, menos agressivas para buscar crédito no mercado. Além disso, o sistema financeiro não oferece condições para que essa mulher que está começando tenha acesso”, detalhou em conversa com o EMPREENDER EM GOIÁS.

A palestra da especialista em empreendedorismo feminino Ana Fontes integra as ações de lançamento do Programa Mulheres Empreendedoras, do Grupo Mulheres do Brasil (MdB) e o Sebrae Goiás, às 12h30, nesta terça-feira (27). O objetivo é que as participantes tenham a oportunidade de acelerar seus negócios por meio da aplicação dos conteúdos que irão receber. A programação ocorre na unidade do Sebrae em Goiânia.

O programa seguirá as metodologias aplicadas pelo Sebrae e haverá mentorias e módulo de coaching training. As inscrições serão voltadas para 50 empreendedoras e o prazo vai até 28 de abril ou até o preenchimento das vagas. Para se inscrever, é necessário estar no contrato social, ser gestora do negócio, que deve ter mais de um ano de atuação, e ser micro ou pequena empresária.

Porta de entrada
Ana avalia ainda que o empreendedorismo se tornou uma opção de carreira para aquelas que enfrentam um ambiente corporativo hostil, principalmente em relação às que decidem ter filhos. “Ela acaba indo meio que empurrada (para o empreendedorismo) por conta desse momento que não a ajuda a se manter nessa corporação”, diz.

Segundo a especialista, negócios no setor de serviços são a porta de entrada das mulheres no empreendedorismo. Eles demandam menos estrutura, podem ser criados a partir da própria vivência e, muitas vezes, estão ligados às áreas de conforto da mulher, como moda e beleza. “Depois, com mais experiência, ela vai para o caminho de procurar algo que faça sentido, pois consegue entender no que que é boa e no que não é tão boa e já tem as dificuldades dos clientes mapeadas”, detalha.

Donas de quase metade dos pequenos negócios no Brasil, as mulheres têm como grande desafio, na opinião de Ana, conciliar a vida de empreendedora – que exige muita dedicação, especialmente nos primeiros anos – com outras atividades. Além disso, precisam buscar uma oportunidade de negócio com a qual se identifique e que tenha demanda. “Gostar do que faz tem a ver com propósito, mas também com conseguir ter resiliência para conseguir enfrentar desafios”, frisa ela.

Caminhos
Há uma década no empreendedorismo, Ana diz ter precisado abrir “florestas com facão” para conseguir se estabelecer. “Comecei em uma época em que não se falava de empreendedorismo feminino. Não se ouvia falar de outras empreendedoras. As mulheres precisam muito desse apoio, de olhar uma para as outras para ver que caminho está seguindo”, defende.

Hoje, a especialista também comanda a aceleradora de negócios para mulheres, a W55, e a Virada Empreendedora, evento com duração de 24 horas, realizado em São Paulo, que reúne em um final de semana todos os aspectos que um empreendedor precisa desenvolver. “Vivemos em um ambiente desafiador para homens e mulheres. A questão do empreendedorismo no Brasil é uma novela”, define.

O portal EMPREENDER EM GOIÁS tem como principal objetivo incentivar, apoiar e divulgar os empreendedores goianos com conteúdos, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.

One thought on “Crédito ainda é entrave para empreendedorismo feminino”

  1. Muito bacana seu post, irei acompanhar as novidades deste Blog. Este tipo de assunto tem me ajudado bastante, confesso. Gratidão!