quarta-feira, 17 de abril de 2024
Inédita, linha de crédito vai beneficiar afro empreendedores goianos

Inédita, linha de crédito vai beneficiar afro empreendedores goianos

A partir do dia 20 de novembro, afroempreendedores goianos passarão a contar com uma política de crédito com juros subsidiados pelo Governo de Goiás. A iniciativa é inédita no Brasil e deve beneficiar pequenos e microempreendedores. Ao EMPREENDER EM GOIÁS o presidente da GoiásFomento, Alexandre Tocantins, informa que o limite do empréstimo é de R$ […]

14 de novembro de 2018

Ana Maria, com o designer de moda Salmo Silva: “Quando vou a um banco pedir empréstimo, como negra, meu tratamento é totalmente diferenciado”

A partir do dia 20 de novembro, afroempreendedores goianos passarão a contar com uma política de crédito com juros subsidiados pelo Governo de Goiás. A iniciativa é inédita no Brasil e deve beneficiar pequenos e microempreendedores. Ao EMPREENDER EM GOIÁS o presidente da GoiásFomento, Alexandre Tocantins, informa que o limite do empréstimo é de R$ 50 mil, com taxa de juros de 0,5% ao mês. O beneficiado também terá 12 meses de carência e até 60 meses para finalizar o pagamento. “É o primeiro Estado a oferecer esse crédito específico. Isso traz o afroempreendedor para o protagonismo desse processo de inclusão social e vai gerar renda, desenvolvimento econômico”, ressalta.

O lançamento oficial da linha ocorre no Dia da Consciência Negra, na sede da agência, no Centro de Goiânia, a partir das 8h30. De acordo com Alexandre Tocantins, a iniciativa atende à política de estadual de incentivo ao afroempreendedorismo, estabelecida em 2016. “Nosso perfil é chegar em pessoas em que as instituições bancárias não chegam, promovendo um fomento social. Vamos contemplar os afroempreendedores para que se sintam incluídos e participantes dessa cidadania”, reflete.

O presidente da GoiásFomento detalha que as propostas a serem subsidiadas serão encaminhadas pela Associação de Empresários e Empreendedores para o Fortalecimento do Afroempreendedorismo (Ascenda) para cadastro e verificação dos critérios para a participação da linha de crédito.

José Eduardo: “Além da linha de crédito com juros subsidiados para os afroempreendedores, Goiás também foi pioneiro ao criar o AfroCard”

A entidade participou da construção da política e comemora a novidade. Na avaliação do presidente da Ascenda, José Eduardo Silva, a política vai auxiliar na superação de um dos gargalos da atividade: a qualificação para acesso ao crédito. “Nenhum Estado do Brasil conseguiu criar uma política para negros empresários”, celebra, citando iniciativas pioneiras que também nasceram em solo goiano, como o AfroCard.

Desafios

Hoje, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são 27 milhões de empreendedores em todo o Brasil. Deste total, 13 milhões são de pretos e pardos. Já Goiás contabiliza 453 mil afroempreendedores no Estado, representando mais de 1,2 milhão de empregos direitos na economia goiana. “É uma categoria forte”, frisa José Eduardo, que também preside o Coletivo de Empresários e Empreendedores Afro-Brasileiros (Ceabra).

Atuante no nicho de eventos há uma década, Ana Maria Carvalho Santos, 54 anos, aponta o acesso ao crédito como uma das dificuldades para negros avançarem em seus negócios. “Não há meritocracia quando se trata da questão étnico-racial. Eu posso ter talento, ter ideias. Quando vou a um banco pedir empréstimo, como negra, meu tratamento é totalmente diferenciado”, lamenta.

Alexandre Tocantins, presidente da GoiásFomento: “Isso traz o afroempreendedor para o protagonismo desse processo de inclusão social e vai gerar renda, desenvolvimento econômico”

Ela própria já foi alcançada pelos entraves. Com as portas fechadas para conseguir realizar uma feira de grande porte, Ana Maria passou a apostar na realização de eventos menores, além de atuar com curadoria e com assessoria para o segmento. A empreendedora costuma acrescentar à programação palestras e workshops para a capacitação dos participantes. “Muitos sabem só o básico e precisam entender o que é caixa, como calcular gastos”, exemplifica.

O presidente do Ceabra e da Ascenda, José Eduardo Silva, recorda o passado de luta de negros e negras e pontua que “a história do afroempreendedorismo é antiga”. “Temos um passado de muita luta, que nunca tirou, principalmente as mulheres negras, da condição de empreendedores. Basta lembrar das baianas, com a venda de acarajé, da cocada, e, com esse dinheiro, alforriavam seus companheiros e seus filhos”, ilustra.

O portal EMPREENDER EM GOIÁS tem como principal objetivo incentivar, apoiar e divulgar os empreendedores goianos com conteúdos, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.