segunda-feira, 4 de março de 2024
Goianos já pagaram R$ 41,8 bilhões em impostos

Goianos já pagaram R$ 41,8 bilhões em impostos

O valor superou o montante do mesmo período de 2022, quando o Impostômetro registrou R$ 39,5 bilhões pagos por goianos.

31 de agosto de 2023

Os contribuintes goianos já pagaram R$ 41,8 bilhões em impostos nos primeiros oito meses deste ano (até a última quinta-feira). Segundo o Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). O valor superou o montante do mesmo período de 2022, quando registrou R$ 39,5 bilhões. Goiás representa 1,97% do total arrecadado de impostos no Brasil.

O contribuinte de Goiânia desembolsou R$ 1,3 bilhão nos pagamentos de tributos de janeiro a agosto deste ano. É um aumento de quase 7% em relação ao total de R$ 1, 2 bilhão pago no mesmo período em 2022. O montante arrecadado aos governos federal, estadual e municipal inclui impostos, taxas, contribuições, multas, juros e correção monetária.

Brasil

Já o valor pago pelos brasileiros em tributos passou a marca de R$ 2 trilhões desde o início de 2023. No ano passado, se atingiu essa quantia duas semanas depois, em 14 de setembro. O que se deve, em parte, ao acúmulo da inflação durante o período, segundo Marcel Solimeo, economista-chefe da ACSP.

As medidas de desoneração, que ajudaram a atenuar a alta da inflação, não foram suficientes para combater o crescimento dos preços dos produtos. E, consequentemente, a arrecadação tributária.

Solimeo ressalta, no entanto, a importância de se discutir o equilíbrio dos gastos públicos como elemento essencial da economia brasileira. Para ele, o novo arcabouço fiscal, oficialmente nomeado “Regime Fiscal Sustentável”, que substitui o Teto de Gastos, atualmente em vigor, deve provocar “aumentos significativos na carga tributária” para cumprir as metas elaboradas.

Combustíveis

Para Gilberto Amaral, presidente do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), a retomada dos impostos sobre os combustíveis e das alíquotas de ICMS também contribuiu para o patamar de R$ 2 trilhões em tributos ser alcançado com antecedência em relação a 2022.

“Uma das razões para atingirmos essa marca mais cedo é o aumento na arrecadação, em comparação ao mesmo período do ano passado. Tributos significativos, como o ICMS sobre energia elétrica, tiveram um impacto substancial, especialmente após o aumento nas alíquotas”, destaca Amaral.

Saiba mais: Goianos pagaram R$ 61 bilhões em impostos

Wanderley de Faria é jornalista especializado em Economia e Negócios, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA/FEA/USP - BM&FBovespa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.