segunda-feira, 4 de março de 2024
Empresária cresce com brechó em Jataí

Empresária cresce com brechó em Jataí

Ex-advogada realiza sonho de ter próprio negócio ao abrir brechó em Jataí que vende 500 peças por mês e se prepara para entrar no e-commerce.

20 de outubro de 2023

Com sucesso da iniciativa, Gabriela Barros planeja espaço maior e investir em e-commerce

Como grande parte das jovens de sua geração, Gabriela Lopes Barros entrou cedo na faculdade de Direito, aos 17 anos, certa de que era a profissão que desejava. Chegou a atuar como advogada em Jataí, sua cidade. Quando teve o primeiro filho, viu que não desejava continuar advogando e passou a estudar para concurso público. Logo depois, quando teve o segundo filho, ela decidiu que precisava trabalhar, mas em casa. Nesse ínterim, avaliando possibilidades, veio a ideia de ter um brechó.

A fim de iniciar o negócio, ela pediu doações de roupas para a mãe, as irmãs, a madrasta e começou a vender na sala de sua casa. “Eu me apaixonei”, conta. Gabriela se lembra da primeira peça que vendeu, uma jaqueta de couro, por 30 reais. “Quando eu fiz o negócio, foi uma virada de chave e eu vi que era o que eu queria”, diz.

Os negócios continuaram em casa e foram crescendo, até que foi preciso alugar um espaço maior. Em 2019, a empreendedora inaugurou a loja Sua Moda Brechó.

Apesar de uma retração durante a pandemia, Gabriela conta que continuou trabalhando e crescendo. No início deste ano, fez uma reforma. “A intenção é proporcionar conforto para minhas clientes e mostrar que não se trata apenas de vender roupas e acessórios de segunda mão. Mas que é possível ter peças de qualidade, com um valor acessível e de forma sustentável”, define. Ainda assim, ela conta que muitas pessoas sugerem que ela passe a vender roupas novas. “Mas não é esse o propósito”, esclarece.

E-commerce

Paralelamente aos itens em exposição na vitrine, Gabriela movimenta bastante as redes sociais da loja (@suamodabrecho_jatai) e dá dicas de combinações, cores, tecidos. A procura por parte de pessoas que não são de Jataí, mas acompanham o brechó pelas redes sociais, está prestes a dar lugar a mais uma modalidade no negócio, o e-commerce.

“Ainda não faço, mas muita gente quer, há uma cobrança grande, por parte de seguidoras”, relata a empresária. Ela acrescenta que quer continuar crescendo e tendo mais peças para oferecer. Em tempo: Gabriela calcula que mais de 80% das clientes chegam até ela de forma orgânica, por indicação.

Hoje, a sua loja vende em torno de 500 peças por mês. É Gabriela ainda quem faz tudo: desde “garimpar” boas opções em bazares da região e por meio de vendas consignadas até a higienização e o preparo das roupas e acessórios para exposição.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.