terça-feira, 18 de junho de 2024
Times goianos buscam adotar gestão empresarial

Times goianos buscam adotar gestão empresarial

Seguindo uma tendência nacional, clubes de futebol de Goiás têm procurado adotar gestão empresarial para atraírem novos investidores.

26 de novembro de 2023

“Essa é uma preparação para receber um investidor. O Goiás vem recebendo muitas consultas”, disse Edminho

Seguindo uma tendência nacional, clubes de futebol de Goiás têm procurado adotar uma gestão empresarial em busca de atraírem novos investidores. Na semana passada, Goiás deu um passo importante para a transformação do clube em uma Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Em Assembleia Geral realizada em Goiânia, foi aprovada uma mudança no estatuto que torna possível a mudança do modelo de gestão.

O SAF é um tipo específico de empresa, criado pelo Congresso Nacional em 2021. A legislação estimula que clubes de futebol migrem da associação civil sem fins lucrativos para a empresarial. A Lei da SAF, como ficou conhecida, incentiva a mudança para este formato de clube-empresa, que dispõe de normas de governança, controle e meios de financiamento específicos para a atividade do futebol. Uma vez que a companhia é constituída, é possível vender parte majoritária, minoritária ou todo seu capital para um novo proprietário.

“O que mudou foi a forma jurídica presidencialista para um modelo gerido por um Conselho de Administração. Com três membros eleitos pelo Conselho Deliberativo e dois remunerados, que serão contratados por uma empresa de renome”, afirmou Edmo Mendonça Pinheiro (Edminho), presidente do Conselho Deliberativo do Goiás, para a Máquina do Esporte.

O presidente do Conselho de Administração será o diretor institucional estatutário do Goiás, representando o clube em suas relações institucionais. Já o CEO irá comandar o dia a dia do time, comandando e supervisionando o trabalho de quatro diretores: de futebol; do administrativo, financeiro e de operações; de patrimônio, marketing e novos negócios; e o diretor de esportes olímpicos, paralímpicos, iniciação esportiva e social.

Investidores

“Essa é uma preparação para receber um investidor. O Goiás vem recebendo muitas consultas. Porém, nunca evoluiu nada por causa do antigo estatuto”, disse Edminho. Ele afirmou que o clube conta com as condições adequadas para receber um bom aporte de investimento. “O Goiás é um clube com quase zero de dívida. Tem dinheiro em caixa”, frisou.

Em 2022, o Goiás tinha uma dívida de apenas R$ 24 milhões. Por outro lado, as receitas líquidas do time na última temporada foram de R$ 97,1 milhões. O clube vê a chegada de um investidor como a oportunidade de voltar a ter condições financeiras de ser competitivo na elite do Brasileirão.
Claro, se conseguir permanecer na Série A para 2024. Atualmente, o Verdão está na zona de rebaixamento. Para manter alguma expectativa de permanecer na elite do futebol brasileiro, precisará vencer o Cruzeiro nesta segunda-feira (27/11).

Cantor

O cantor Alexandre Pires está de olho em dois times goianos de futebol: Anápolis e Aparecidense. Os dois clubes goianos já demonstraram interesse na transformação para SAF. Junto com o seu sócio Thiago Sampaio, Alexandre Pires já teve reuniões com dirigentes dos times goianos. “Estamos estudando as possibilidades e o modelo de negócio mais saudável para ambos. Esperamos em um futuro próximo anunciar o clube que vamos escolher para fazer um trabalho profissional, alegrando a nós e aos torcedores”, disse Thiago Sampaio ao portal Globo Esporte.

O Grupo TAF (Thiago, Alexandre e Futebol) foi criado para gerir empresas do esporte. “Fizemos visita em Aparecida de Goiânia para conhecer o projeto da Aparecidense. O clube está se transformando em SAF e escutamos o projeto para os próximos anos”, afirmou Thiago. Ele afirma que a sua empresa com Alexandre Pires tem a intenção de ter um clube de futebol no Brasil e em Portugal. Os clubes visitados pelo Grupo TAF disputam a elite do futebol goiano. A Aparecidense, além do campeonato estadual, jogará a Série C do Brasileirão pelo terceiro ano seguido em 2024.

Saiba mais: Faturamento anual dos 20 maiores times supera R$ 6 bilhões

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.

Últimas Publicações Últimas Publicações