quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024
Moda goiana deve fechar ano com R$ 8,5 bilhões

Moda goiana deve fechar ano com R$ 8,5 bilhões

Trata-se de um crescimento de 10,4% no potencial de consumo em Goiás comparado com o do ano passado, segundo pesquisa do IPC Maps.

5 de dezembro de 2023

O segmento de vestuário deve responder por R$ 5,721 bilhões das vendas do setor de moda em Goiás neste ano.

O setor de moda goiano movimentará, até o final de 2023, cerca de R$ 8,525 bilhões. Trata-se de um crescimento de 10,4% em relação ao ano passado, quando respondeu por R$ 7,723 bilhões. Segundo levantamento do IPC Maps, empresa especializada em potencial de consumo dos brasileiros há quase 30 anos, com base em dados oficiais.

Para este levantamento, se considera o potencial de consumo com vestuário confeccionado e calçados, além de joias, bijuterias e armarinhos no Estado.

O maior aumento de consumo é projetado na classe social B, cuja renda média mensal familiar varia entre R$ 7,6 mil e R$ 23,8 mil, segundo levantamento da consultoria Tendências. Em Goiás, esta parcela da população deve consumidor neste ano R$ 3,787 bilhões com moda, aumento de 21,5% em comparação com 2022.

Os consumidores da classe C (renda média mensal entre 3,2 e 7,6 mil reais) goiana deve consumir neste ano R$ 3,164 bilhões. Seguido pelos consumidores da classe social A (renda média mensal acima de R$ 23,8 mil), com potencial de R$ 835,9 milhões. As classes D/E devem fechar este ano com consumo de quase R$ 738 milhões com moda.

Entre os segmentos, o vestuário deve responder por R$ 5,721 bilhões das vendas do setor de moda em Goiás neste ano. Já o segmento de calçados deve fechar com R$ 2,3 bilhões e o de joias, bijuterias e armarinhos, com quase R$ 500 milhões.

Segundo o levantamento do IPC Maps, o número de lojas atuando neste setor de moda em Goiás deve crescer 2,8% neste ano, fechando com 42,8 mil empresas em atividade em todos os segmentos.

No Brasil

O setor de moda brasileiro deve movimentar neste ano cerca de R$ 221,6 bilhões, aumento de 6,8% em relação a 2022, aponta a pesquisa do IPC Maps. A quantidade de lojas crescerá em mais de 15 mil, somando 1,141 milhão em atividade no País.

O IPC Maps afirma que utiliza metodologias exclusivas para cálculos de potencial de consumo de 22 setores econômicos, por categorias de produtos, para cada um dos 5.570 municípios do País. Com base em dados oficiais e através de versões em softwares de geoprocessamento.

Wanderley de Faria é jornalista especializado em Economia e Negócios, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA/FEA/USP - BM&FBovespa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.