quinta-feira, 18 de julho de 2024
Aluguel sobe 9 vezes mais que a inflação em Goiânia

Aluguel sobe 9 vezes mais que a inflação em Goiânia

Índice FipeZap registrou alta de 38,40% na capital goiana, em novembro, na comparação com mesmo mês de 2022.

21 de dezembro de 2023

O Índice FipeZap de locação residencial registrou aumento de 38,40% em Goiânia, nos 12 meses encerrados em novembro, superando com muita folga as variações acumuladas pelo índice oficial de inflação, o IPCA, de 4,68%.

É a maior alta do país pela segunda vez seguida. O crescimento é ainda maior ante o IGP-M, normalmente usado para corrigir os valores dos aluguéis, de 3,46% na mesma base de comparação.

Todas as 25 cidades que integram a cesta do índice registraram elevação nos preços do aluguel residencial, incluindo 11 capitais. Além de Goiânia, as maiores altas aconteceram em Florianópolis (+28,14%), Fortaleza (+21,35%) e Rio de Janeiro (+19,97%).

Goiânia também lidera a alta do aluguel no comparativo mensal (novembro/outubro) com aumento de 3,60%. Seguida por Belo Horizonte (1,92%), Fortaleza (1,59%), Curitiba (1,47%) e Porto Alegre (1,03%).

Brasil

No Brasil, o aumento foi 15,96% em 12 meses, com alta três vezes maior que a inflação do período. Segundo levantamento, a valorização mais expressiva do aluguel, em 12 meses, abrangeu imóveis com um dormitório (+18,79%)

No comparativo mensal, os preços de locação residencial, em novembro, subiram 0,85%, ante outubro. Na mesma base de comparação, a variação do IPCA foi de 0,28% e do IGP-M, de 0,59%.

Nas cidades monitoradas, os maiores valores médios foram observados no aluguel de imóveis residenciais de um dormitório (R$ 54,03/m²) e os menores, entre unidades com três dormitórios (R$ 36,72/m²).

Saiba mais: Investir em imóvel na planta em Goiânia: bom negócio?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.