segunda-feira, 4 de março de 2024
Cresce número de famílias goianas endividadas

Cresce número de famílias goianas endividadas

Em 2023, 67,8% das famílias residentes em Goiás apresentavam alguma dívida em seu nome, porcentual bem maior do que de 2022.

12 de janeiro de 2024

Em 2023, 67,8% das famílias residentes em Goiás apresentavam alguma dívida em seu nome, seja adimplente ou inadimplente. O percentual é maior que o registrado em 2022, quando estava em 58,9%. Mesmo assim, Goiás ficou entre os cinco estados com menor percentual de famílias endividadas. Seguido pelo Pará (62,8%), Bahia (61,5%), Mato Grosso do Sul (61,4%) e Alagoas (60,9%).

Já os cinco estados com maior percentual de famílias endividada foram Paraná (91,7%) Minas Gerais (91,1%), Roraima (90,1%), Espírito Santo (89,8%) e Ceará (89,1%). No país, a taxa de endividamento fechou em 77,8% da população.

As informações são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), apurada mensalmente pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Ranking

Em 2023, os cinco estados mais endividados do país foram Paraná (91,7%) , Minas Gerais (91,1%), Roraima (90,1%), Espírito Santo (89,8%) e Ceará (89,1%).

A média anual do endividamento das famílias com renda até três salários mínimos ficou no mesmo patamar de 2022, em 78,8%. Nas famílias com renda entre três e cinco salários, no entanto, houve uma ligeira queda, de 0,6 ponto percentual. Entre as que ganham até 10 salários, foi registrado um pequeno aumento, de 0,1 ponto percentual.

“Os dados confirmam que as famílias de menor renda estão mais vulneráveis às variações da economia, especialmente das taxas de juros, do que aquelas de maior renda”, indica o economista-chefe da CNC, Felipe Tavares.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.