quinta-feira, 25 de julho de 2024
Economia com carro elétrico pode chegar a 80% em Goiás

Economia com carro elétrico pode chegar a 80% em Goiás

Além da questão ambiental, durabilidade da bateria, tempo de carga e preços, o gasto mensal é um ponto importante na decisão de compra.

17 de janeiro de 2024

O custo de energia para uma recarga completa do BYD Dolphin seria de R$ 27,55.

Comprar um carro elétrico ou carro a combustão? Além de considerações sobre poluição, durabilidade da bateria, carregamento e preços, o gasto – ou a economia – que se pode ter ao optar por um dos dois modelos também é um ponto relevante. E, é claro, precisa ser levado em conta ao tomar a decisão de compra.

Vamos a um exemplo prático a partir de cálculos realizados pela BYD. Levando em consideração o carro elétrico mais vendido no Brasil, o BYD Dolphin, e sua bateria Blade de 44,9 kW com padrão oficial de autonomia de 291 km (Inmetro). Com a previsão de um carregamento feito num período entre 7 e 10 dias, em relação a um modelo similar a combustão.

A economia para o consumidor em Goiás seria de 80,7%, ou R$ 115,70, por carga/semana em relação ao carro a combustão. Isso levando-se em conta a tarifa média de R$ 0,711 por kWh, com uma recarga (7/10 dias) e o custo médio do litro de gasolina a R$ 5,43 no estado. Também usando como exemplo um carro compacto com consumo de 11 km/l na cidade.

Comparativo

O custo de energia para uma recarga completa do BYD Dolphin seria de R$ 27,55. Bem mais vantajoso que o modelo similar a combustão, com uma despesa combustível/semana de R$ 143,25.
Usando-se, ainda, os mesmos parâmetros de custos, porém agora para uma rodagem de 13 mil quilômetros durante 12 meses (média do brasileiro). A vantagem financeira do elétrico fica ainda mais evidenciada.

Na simulação, o Dolphin teria uma despesa anual de R$ 1.283,60 com energia para recarga. Já o modelo a combustão exigiria um investimento com combustível de R$ 6.418,00. A economia é vantajosa: 80% ou R$ 5,1 mil por ano, apontam os cálculos.

Vantagens

As empresas que revendem veículos elétricos citam outras vantagens sobre os modelos à combustão. Atualmente, dez estados brasileiros já concedem benefícios em relação ao IPVA, com isenção total e/ou parcial. Além disso, os elétricos ficam fora do rodízio de veículos, em municípios onde essa legislação é aplicada.

Sua manutenção também é muito mais simples e mais acessível, pois tem menos partes móveis, peças e desgaste mecânico. Além disso, os carros elétricos são mais silenciosos do que os similares a combustão.

O EMPREENDER EM GOIÁS já mostrou que encher o tanque de gasolina consumiu, em média, 6,4% da renda das famílias que moram em Goiás, no terceiro trimestre deste ano. Em Goiânia, foi menor, 4,5%. O resultado em Goiás é um pouco menor que a média nacional, que foi de 6,6% da renda das famílias brasileiras.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.