quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024
Inflação: Goiânia tem a maior alta em janeiro desde 2016

Inflação: Goiânia tem a maior alta em janeiro desde 2016

O IPCA subiu 0,87% em janeiro na capital goiana, a terceira maior alta do País, principalmente por causa da gasolina.

8 de fevereiro de 2024

Preço da gasolina já acumula alta de 19,6% nos últimos 12 meses em Goiânia

Os moradores de Goiânia tinham toda razão ao reclamar da disparada dos preços no mês passado. A confirmação chegou nesta quinta-feira (8/2). A inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu 0,87% em janeiro na capital goiana.

De acordo com o IBGE, é a maior alta para um mês de janeiro desde 2016, quando o índice variou 1,2% na capital goiana.

Também foi a terceira maior alta do país, ficando atrás apenas de Belo Horizonte (1,10%) e São Luís do Maranhão (1,6%). Em 12 meses, o IPCA acumula aumento de 4,48% na capital goiana.

Combustíveis

De quem é a culpa? Segundo a pesquisa do IBGE, do grupo dos transportes. Mas especificamente do aumento de 5,1% no preço da gasolina, que já acumula alta de 19,6% nos últimos 12 meses.

Além disso, também foi registrado aumento de 9,71% nos preços do etanol. Em contrapartida, o óleo diesel caiu 1,67% em janeiro, apresentando variação acumulada negativa de 7,15% em 12 meses.

Mas, o grupo alimentação e bebidas também contribuiu para o resultado, com aumento de 2,22% no mês. A alta do foi puxada pelo aumento nos preços das carnes (1,28%), dos panificados (0,66%), leites e derivados (0,99%), cereais, leguminosas e oleaginosas (8,82%), entre outros itens.

INPC e Sinapi

O INPC de Goiânia registrou alta de 0,88% em janeiro. Ou seja, o aumento dos preços também impactou os mais pobres. Isso devido ao forte peso que os alimentos apresentam para o grupo investigado no INPC (pessoas com rendimentos entre 1 e 5 salários-mínimos).

Já o o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) subiu 0,07% no mês passado em Goiás. O custo goiano da construção, por metro quadrado, subiu para R$ 1.710,25 em janeiro. Sendo R$ 1.015,70 relativos aos materiais e R$ 694,55 à mão de obra.

O custo nacional para o setor habitacional por metro quadrado passou para R$ 1.725,52 em janeiro. Sendo R$ 1.003,26 relativos aos materiais e R$ 722,26 à mão de obra.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.