terça-feira, 28 de maio de 2024
Entidades lançam campanha pela valorização do etanol em Goiás

Entidades lançam campanha pela valorização do etanol em Goiás

Participantes do Fórum Empresarial vão utilizar somente etanol em suas frotas de veículos leves

13 de abril de 2024

Presidentes e representantes de entidades empresariais se unem pelo etanol

A Campanha de Valorização do Etanol em Goiás foi lançada oficialmente nesta sexta-feira (12) em Goiás, com a assinatura do convênio envolvendo as entidades participantes do Fórum Empresarial (FEE). Essas entidades comprometeram-se a utilizar etanol em suas frotas de veículos leves, como parte da iniciativa Movido pelo Agro – Etanol.

A ação será estendida a todos os associados, filiados e parceiros da Faeg, FCDL, Acieg, Fecomércio-GO, Adial, Facieg, Sistema  OCB/GO  e Fieg. Além disso, o Sebrae também se compromete a assinar o convênio.

A assinatura aconteceu durante a Conferência sobre Transição Energética e Desenvolvimento, que reuniu representantes do setor bioenergético. O evento foi organizado pelo Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol de Goiás (SIFAEG), em colaboração com a Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG) e com o apoio do Sebrae. A ocasião também marcou simbolicamente a abertura da safra de cana-de-açúcar em Goiás.

O setor ainda celebrou a assinatura do projeto que cria Política Estadual de Combustíveis de Goiás pelo governador Ronaldo Caiado, que visa valorizar a produção local de biocombustíveis, fortalecer a indústria estadual, agregar valor à produção agrícola e fomentar o crescimento econômico regional. A proposta ainda será apreciada pela Assembleia Legislativa.

Adversário

Conforme o presidente do Siafeg, André Rocha, é importante compreender que o verdadeiro adversário das mudanças climáticas é o carbono, e não o motor a combustão.

André Rocha: “O verdadeiro adversário das mudanças climáticas é o carbono, e não o motor a combustão”

“A discussão atual concentra-se em encontrar rotas eficientes para reduzir o consumo de carbono, reconhecendo as particularidades e desafios específicos da matriz energética e condições socioeconômicas de países como China, Estados Unidos, Brasil e os países europeus”, explica o Presidente – executivo do Sifaeg e vice-presidente da Fieg, André Rocha.

Híbridos

Conforme o presidente da Fieg, Sandro Mabel, Goiás e o Brasil têm se destacado nesse contexto com aproximadamente 90% de sua energia proveniente de fontes alternativas, o que contribui significativamente para a descarbonização e a redução das emissões de gases para a atmosfera.  Lembrou que o Estado é o segundo maior produtor de biodiesel do Brasil.

Sandro Mabel: “O etanoll anidro e os biocombustíveis oferecem uma transição para combustíveis mais limpo”

No entanto, complementa que é importante reconhecer que a transição energética não se resume apenas à adoção de veículos elétricos, pois a fabricação desses veículos também gera uma pegada de carbono considerável. “Alternativas como álcool anidro e biocombustíveis oferecem uma transição para combustíveis mais limpos, com emissões de carbono muito baixas ou nulas. Essa abordagem híbrida, combinando biocombustíveis com eletricidade, tem sido reconhecida como uma das melhores estratégias para a transição energética”, afirma.

Usinas

Segundo o presidente – executivo do Sifaeg e vice-presidente da Fieg, André Rocha, a indústria sucroenergética desempenha um papel crucial no desenvolvimento do interior do Estado, gerando empregos e renda, o que é de suma importância para a economia local. Apenas em Goiás, são 37 usinas em operação, produzindo etanol, açúcar e bioeletricidade. Juntas elas empregam direta e indiretamente cerca de 300 mil pessoas.

Dados da Secretaria de Economia de Goiás atestam que as usinas contribuem com R$3,56 milhões diários de ICMS e, que diariamente a economia goiana é aquecida com mais de R$ 44,6 milhões, (16 bilhões) somente com pagamentos de parceiros agrícola, e fornecedores, folha de pagamentos, encargos trabalhistas e impostos estaduais.

Além do biodiesel, o Estado tem explorado novas tecnologias para a produção de energia. Isso inclui o biogás, biometano e bioquerosene, este último pode ser utilizado na aviação. Também está avançando na produção de hidrogênio verde. 

“A Fieg desempenha um papel fundamental nesse contexto, incentivando não apenas as indústrias de etanol e biodiesel, como o Sifaeg, mas também aquelas ligadas à alimentação, como processadores de soja e frigoríficos. A parceria com o SenaiI traz expertise tecnológica para o setor, enquanto o Sebrae apoia na qualificação de micro e pequenas empresas fornecedoras”, afirma André.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.

One thought on “Entidades lançam campanha pela valorização do etanol em Goiás”

  1. Pedro Alves disse:

    Presidente André Rocha , parabéns pelo evento dando relevância ao uso de etanol , energia limpa e importante na preservação ambiental, geração de empregos e receita para Goiás.
    Pedro Alves.