quinta-feira, 18 de julho de 2024
Economistas analisam os indicadores de Goiás

Economistas analisam os indicadores de Goiás

Especialistas analisam recentes indicadores da economia de Goiás, que tem acumulando bons resultados nos últimos meses. Confira.

17 de junho de 2024

Economista Paulo Borges destaca a importância dos incentivos fiscais

A economia de Goiás tem acumulando bons resultados nos últimos meses. A produção industrial goiana registrou em abril a sua 12ª alta consecutiva mensal, acumulando um crescimento anual de 11,3%, segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas.

As vendas do comércio em Goiás cresceram 8,2% em abril quando comparadas a março deste ano, a maior alta no país. Em relação ao mesmo mês do ano passado, o crescimento nas vendas chegou a 22,8%, a maior alta desde maio de 2021.

O setor de serviços acumula crescimento de 4,5% em 12 meses no estado, também de acordo com pesquisas do IBGE.

Já o agronegócio goiano se consolidou como o quarto maior produtor de grãos do país, com produção de 31,4 milhões de toneladas para a safra 2023/2024. Isto corresponde a 10,6% da produção nacional.

Incentivos fiscais

Para economistas ouvidos pelo EMPREENDER EM GOIÁS, o resultado disso vem de políticas públicas implementadas há décadas.

Segundo Paulo Borges Campos, a importância dos incentivos fiscais concedidos pelo governo estadual para atrair empresas do setor de alimentos fez diferença. Essa política, frisa, combinada com a vantagem logística de Goiás, que facilita o escoamento da produção, impulsionou o crescimento da indústria alimentícia.

Danilo Orsida corrobora com essa visão. Ele ressalta que a desoneração tributária reduziu os custos de produção, distribuição e logística, tornando o estado ainda mais atrativo para investimentos no setor. “ Na medida em que os custos operacionais de produção, de logística, de distribuição são reduzidos, isso representa maiores ganhos e maiores estímulos à produção”, pontua.

Euripedes Júnior enfatiza o papel do agronegócio na economia goiana. O estado possui um dos maiores rebanhos bovinos do país, o que facilita o acesso dos frigoríficos à matéria-prima.

“Na indústria de alimentos o foco principal foi produção de carnes bovinas, algo que Goiás é muito forte. Temos muitos frigoríficos no estado que vendem para o mundo todo”, destaca. Além disso, Goiás se destaca na produção de soja, outro importante item de exportação.

Eurípedes também enfaztiza o crescimento da indústria automotiva em Goiás. A vantagem logística do estado, aliada à valorização do dólar e do euro, torna a exportação de veículos ainda mais lucrativa.

Danielo afirma que a desoneração tributária reduziu os custos de produção, distribuição e logística

Desafios

Apesar do momento positivo, os economistas alertam para alguns desafios que podem afetar o PIB goiano. Paulo Borges Campos menciona a necessidade de agregar mais valor à produção agrícola, exportando produtos industrializados em vez de matéria-prima.

Outro listado é a reforma tributária, que pode limitar a capacidade do estado de oferecer incentivos fiscais às empresas. Para Eurípedes Júnior, eventos climáticos também devem ser observados com cuidado.

Apesar dos desafios, os especialistas são otimistas quanto ao futuro da economia goiana. “O estado tem potencial para continuar crescendo e se consolidando como um dos principais pólos econômicos do país”, afirma Paulo Borges.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.