terça-feira, 18 de junho de 2024
Custo do frete fecha com alta de quase 40%

Custo do frete fecha com alta de quase 40%

Há um cenário de queda no preço médio do frete para esse ano, mas ainda deve permanecer mais elevado em relação aos anos anteriores.

25 de janeiro de 2023

Aumento do preço do diesel tornou o frete bem mais caro no Brasil

O custo médio do frete fechou com alta de 38,9% no ano passado no Brasil, em comparação com 2021. Principalmente por conta da alta no preço do diesel, o quilometro rodado fechou com média de R$ 7,14, segundo o Índice de Frete Repom (IFR). Entretanto, é uma média menor que a de outubro do ano passado, quando estava em R$ 7,87.

“Há um cenário de queda no preço médio do frete para esse ano. Primeiramente impactado por fatores internacionais e internos, como a prorrogação da isenção de impostos federais sobre o diesel por mais um ano e novas reduções na tabela do piso mínimo do frete da ANTT. Ainda assim, o valor médio deve permanecer mais elevado em relação aos anos anteriores”, avalia Vinicios Fernandes, diretor da Repom.

Em síntese, ao longo do ano passado, o preço médio apresentou oscilações entre recuo e altas. O mês que registrou a média mais elevada foi julho (R$ 8,04). Já no comparativo com 2019, ano pré-pandemia em que o preço médio do frete fechou o ano a R$ 4,41, o aumento foi de 62%.

Oferta e demanda

“Na retomada sucessiva dos negócios, um dos reflexos do fim da fase mais dura da pandemia tem sido a dificuldade que as empresas enfrentam para encontrar caminhoneiros. Sobretudo por questões relacionadas à oferta e demanda, esse fator também encarece o preço do frete e deve ser um dos desafios para o setor em 2023”, conclui Fernandes.

O IFR é um índice do preço médio do frete e sua composição. É levantado com base nas 8 milhões de transações anuais de frete e vale-pedágio administradas pela Repom. Marca da Edenred Brasil, a Repom é especializada em soluções tecnológicas de gestão e pagamento de despesas para o mercado de transporte rodoviário de carga e há 30 anos é líder no segmento de pagamento de frete e vale-pedágio, com mais de 1 milhão de caminhoneiros atendidos por suas soluções em todo o Brasil.

Saiba mais: Transportadoras respondem por 70% dos fretes no Brasil

Wanderley de Faria é jornalista especializado em Economia e Negócios, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA/FEA/USP - BM&FBovespa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.

Últimas Publicações Últimas Publicações