quinta-feira, 18 de julho de 2024
Goianos têm R$ 6,2 bilhões investidos na Bolsa

Goianos têm R$ 6,2 bilhões investidos na Bolsa

O número de investidores goianos cresceu 400% desde 2019 e o total investido confere a Goiás a 11ª posição no ranking da B3.

17 de julho de 2023

José Miguel Gonçalves: “Goiás está entre as 10 maiores economias do Brasil.”

O número de investidores pessoas físicas de Goiás na Bolsa de Valores (B3) atingiu 179.355 contas, com investimentos de R$ 6,2 bilhões. De acordo com dados da B3, são 143.068 homens com R$ 4,7 bilhões investidos e 36.287 mulheres, com R$ 1,5 bilhão. O número de investidores cresceu quase 400% em relação aos de abril de 2019, quando eram apenas 36 mil pessoas físicas.

O total investido confere a Goiás a 11ª posição no ranking da B3. Deixa para trás Espírito Santo (R$ 6,1 bilhões), Maranhão (R$ 5,2 bilhões), Mato Grosso (R$ 2,8 bilhões), Pará (R$ 2,3 bilhões), Mato Grosso do Sul (R$ 2,3 bilhões) e Rio Grande do Norte (R$ 2,2 bilhões), entre outros.

“Goiás está entre as 10 maiores economias do Brasil. Trata-se de um mercado com bastante oportunidade de crescimento na Bolsa”, afirma José Miguel Gonçalves, sócio fundador da Meu Dividendo. Segundo ele, a perspectiva da abertura de escritórios de investimento na região vão contribuir para potencializar ainda mais o mercado goiano. Porque, consequentemente, haverá mais informações e a assessoria para a realização de bons investimentos.

Crescimento

Conforme pesquisa da Meu Dividendo, o crescimento de investidores pessoas físicas na B3 foi exponencial. É diferentemente dos dados do Censo Demográfico 2022 divulgados pelo IBGE, que indicam que a população brasileira registrou um aumento de apenas 6,45% desde sua última edição em 2010.

Os investidores pessoas físicas na B3 passaram de 500 mil em 2011 (número que ficou estagnado até 2016) para mais de 5 milhões em dezembro de 2022. A evolução do valor de custódia (investido) também demonstra que o brasileiro tem optado por investir cada vez mais na Bolsa de Valores.

Em 2011, quando a Bolsa começou a se popularizar, as pessoas físicas tinham investido R$ 102 bilhões. Em 2022 este volume chegou a R$ 459 bilhões somente em renda variável. A evolução se deve ao crescimento de investidores, já que o valor médio foi reduzido de R$ 13 mil em 2011 para R$ 1,2 mil atualmente.

Saiba mais: Bolsa sobe e dólar cai no acumulado de 2022

Wanderley de Faria é jornalista especializado em Economia e Negócios, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA/FEA/USP - BM&FBovespa

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.