terça-feira, 27 de fevereiro de 2024
Rebanho: Goiás perde a 2ª posição na pecuária

Rebanho: Goiás perde a 2ª posição na pecuária

O rebanho bovino goiano cresceu 0,5% em 2022, estimado em 24,4 milhões de cabeças. Mas perdeu posição nacional para o Pará.

21 de setembro de 2023

O rebanho bovino goiano cresceu 0,5% em 2022, estimado em 24,4 milhões de cabeças. Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (21/9) pelo IBGE, trata-se da quarta alta seguida e o maior quantitativo da série histórica iniciada em 1974. Contudo, o estado perdeu uma posição no ranking nacional. Ficou atrás de Mato Grosso (34,2 milhões de cabeças) e do Pará (24,8 milhões). Este último, por ter subido 3,6% em 2022, tomou a segunda colocação que Goiás tinha conquistado em 2017 após ultrapassar Minas Gerais.

Goiás tem participação de 10,4% no efetivo nacional de bovinos. O Brasil, com 234,4 milhões de cabeças, teve aumento de aproximadamente 4,3% do efetivo em relação a 2021.

Em relação aos demais animais de grande porte, Goiás apresentou em 2022 o décimo maior rebanho de bubalinos, aproximadamente 20,4 mil cabeças. Trata-se de uma queda de 2,2% em relação a 2021. Também ficou com na sétima posição nacional em relação ao ranking dos efetivos de equinos, com 395,3 mil cabeças. Este rebanho teve um aumento de 0,4% em 2022.

Municípios

Nova Crixás, o representante goiano nos 15 municípios com os maiores efetivos de bovinos, teve um aumento de 2,2% no o número de cabeças em 2022 (849,5 mil cabeças) em comparação a 2021. São Miguel do Araguaia também é destaque no cenário estadual, com 660,1 mil cabeças de bovinos em seu território no final do ano passado. Contudo, teve discreta queda (-0,2%) em relação ao efetivo de 2021.

Já o município de Rio Verde, que ocupou a segunda posição no ranking nacional em efetivos de suínos em 2020, passou a ocupar a sexta posição em 2022 (com 406,1 mil cabeças). Em 2021, o município tinha apresentado queda de 35,1%. Em 2022, a variação em relação ao ano antecedente foi de – 5,1%.

Da mesma forma, Goiás teve queda no efetivo total em 2022, chegando a 1,5 milhão de suínos. O estado, que também está em queda no efetivo de suínos desde 2018, ocupa a sétima colocação do ranking nacional.

Saiba mais: Pecuária goiana tem forte crescimento em 2023

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.