segunda-feira, 22 de julho de 2024
Goiânia é a 3ª maior em valorização de imóveis

Goiânia é a 3ª maior em valorização de imóveis

De acordo com FipeZap, a valorização do preço médio dos imóveis na capital goiana foi de 22% desde setembro de 2018.

7 de dezembro de 2023

Quem comprou imóveis nos últimos cinco anos em Goiânia obteve ganhos acima da inflação. De acordo com dados do índice FipeZap, a valorização do preço médio do metro quadrado na capital goiana foi 22% (já descontada a inflação pelo IPCA) no período de setembro de 2018 a setembro de 2023.

Conforme o levantamento, Goiânia só ficou atrás de Vila Velha (Espírito Santo), que teve 38,06% de valorização. E da capital Vitória, com 27,5%. Foram pesquisados preços em 18 cidades que têm dados divulgados pela FipeZap desde 2018. Os valores se referem aos preços pedidos pelos proprietários, mas não é necessariamente o preço efetivo de venda.

Na avaliação de especialistas, o avanço dos preços de imóveis em um município está ligado ao desenvolvimento socioeconômico e à demanda por terrenos e moradias. No caso de Goiânia, o resultado está atrelado ao bom momento do agronegócio, que movimenta a economia na região.

Particularidades

Nos últimos anos, desembarcaram na capital goiana nomes de peso, como o estúdio de design italiano Pininfarina, conhecido pelos projetos da Ferrari. Além do Studio Arthur Casas, de arquitetura e, recentemente, o V3rso, marca de hotelaria butique, do hotel Emiliano. O movimento tem elevado as vendas e provocado uma forte valorização dos preços dos imóveis de médio e alto padrões.

O professor da FGV Alberto Ajzental afirma que uma explicação para o aumento pode também ser a falta de lançamentos imobiliários nas cidades nesse período, uma vez que o mercado vinha de um ciclo de baixa nos anos pré-pandêmicos. “Cada região tem suas particularidades. Se uma cidade é guiada pelo agro, e o setor vai bem, pode haver mais lançamentos imobiliários, o que diminui o preço pedido dos demais imóveis. Mas se o setor econômico principal da região vive crise, aquela região também vê essa valorização variar”, analisa.

Para a maioria dos especialistas do setor, regiões que investem mais em segurança pública e indicadores que afetam a qualidade de vida tendem a ter melhor valorização dos seus imóveis.

Saiba mais: Imóveis novos: goianos estão mais exigentes

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.