sábado, 2 de março de 2024
BYD também produzirá veículos flex no Brasil

BYD também produzirá veículos flex no Brasil

O objetivo é aproveitar os benefícios do programa federal Mover, anunciado recentemente pelo governo federal.

13 de janeiro de 2024

Baldy afirma que a BYD ofertará modelos de carros elétricos acessíveis com performance cada vez melhor.

A montadora chinesa BYD não produzirá apenas veículos elétricos no Brasil, mas também carros com motores híbridos flex (etanol). O objetivo é aproveitar os benefícios do programa federal Mover, anunciado recentemente pelo governo federal. Além disso, a empresa também planeja verticalizar sua produção no País, inclusive com a exploração e beneficiamento do lítio e fabricação de baterias.

As informações são do presidente do Conselho da BYD Brasil, Alexandre Baldy, para a agência epbr. Ele afirmou que a manutenção, até 2032, dos incentivos para o setor automobilístico no Nordeste, aprovada na reforma tributária, foi determinante para a decisão de investimentos da montadora no Brasil. Especialmente naquela região. A BYD promete investir R$ 3 bilhões em um complexo fabril em Camaçari (BA).

Baldy avaliou positivamente o lançamento do programa Mover, que substitui o Rota 2030, ao reduzir o imposto sobre tecnologias menos poluentes na mobilidade. O programa foi um caminho intermediário para proteger o motor a combustão. Concede vantagens para o motor flex e híbrido na concorrência com os elétricos, especialmente os importados da China.

Etanol

O executivo goiano ressaltou que, diferente da estratégia da companhia em outras partes do mundo, no Brasil, a BYD optou por incluir o etanol em suas rotas. “Nós faremos parte desse mundo [do etanol], a partir da nossa planta industrial pronta no Brasil. Produziremos os nossos carros híbridos flex-fuel e nos somaremos ao setor de etanol para a produção local dessa nova tecnologia”, disse.

Outra medida que influenciou a estratégia da companhia foi o retorno gradual da taxação veículos eletrificados importados. “Baterias de carros, baterias de ônibus, baterias de caminhões, fabricação de carros. Queremos ter o maior volume possível de partes, peças e componentes fabricados localmente”, afirmou.

A BYD também avalia investimentos na exploração do lítio e outros minerais no país. “Há a pesquisa para o desenvolvimento e o investimento em minerais, sobretudo o lítio. Olhamos investimentos em Minas Gerais e na Bahia, na área de mineração”, disse Baldy.

Novos modelos

O executivo goiano destaca a estratégia da montadora chinesa para dominar o mercado brasileiro de eletrificados. Em 2023, o modelo BYD Dolphin Plus já foi o elétrico mais vendido do Brasil, com 6,8 mil unidades. Para 2024 a 2026, serão lançados carros híbridos e elétricos com produção nacional.

“Não tenha dúvida de que essa política, cada vez mais, será agressiva e será, cada vez mais, ofertado ao consumidor brasileiro modelos de carros elétricos acessíveis com performance cada vez melhor”, frisou Baldy.

Ele afirmou que a montadora investiu cerca de R$ 500 milhões para abrir cem concessionárias no Brasil. “Ao longo de 2024, serão mais cem concessionárias, o que representará mais meio bilhão de reais em investimentos em 27 estados no Brasil”, disse.

Saiba mais: BYD expande rede de concessionárias em Goiás

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.