segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024
OCB/GO comemora socorro para cooperativas de leite

OCB/GO comemora socorro para cooperativas de leite

Apesar de comemorar a linha de crédito, entidade ressalta que os desafios são enormes para a cadeia láctea em Goiás e no Brasil.

23 de janeiro de 2024

Luís Alberto Pereira ressalta que os desafios são enormes para a cadeia láctea em Goiás e no Brasil.

O Sistema OCB/GO avalia que a linha de crédito emergencial às cooperativas de leite é importante para aliviar as dificuldades do setor. Mas enfatiza que a medida anunciada pelo Ministério da Fazenda nesta segunda-feira (22/1) é paliativa. Portanto, a entidade defende uma urgente política de longo prazo para esta importante cadeia produtiva de Goiás e do Brasil.

O governo federal promete disponibilizar R$ 707 milhões, via Plano Safra, a cooperativas de produtores de leite de todo o País. As taxas de juros (8% ao ano) serão subsidiadas pelo Tesouro Nacional, com 24 meses de carência e 60 meses para o pagamento.

“Sem dúvida, será um crédito importante para ajudar muitas cooperativas de leite que, há muitos anos, enfrentam sérias dificuldades. Especialmente pelas oscilações de preços no mercado e pela concorrência com a importação de leite”, afirma o presidente do Sistema OCB/GO, Luís Alberto Pereira.

Produção

O Brasil importa, hoje, o equivalente a 10% do consumo nacional de leite, contra a média tradicional de 3% a 5%. A produção anual de leite no Brasil está estimada em 35 bilhões de litros. Trata-se de uma atividade conduzida predominantemente por pequenos e médios produtores rurais, conforme o Censo Agropecuário de 2017.

Segundo levantamento da Universidade Federal de Goiás (UFG), relativo a 2022, seis das maiores cooperativas de leite associadas à OCB/GO têm capacidade de produção de 166,7 milhões de litros por ano. Entretanto, das 86 cooperativas do ramo agro em Goiás, 41 trabalham com leite, ou seja, boa parte da produção no Estado passa por uma cooperativa.

Desafios

Apesar de comemorar a linha de crédito, Luís Alberto Pereira ressalta que os desafios são enormes para a cadeia láctea em Goiás e no Brasil. Contudo, afirma que, no cooperativismo, algumas medidas já estão sendo tomadas. Em dezembro do ano passado, na sede da OCB/GO, debateu-se mais de 50 soluções para o segmento.

Uma delas é a parceria com o Sebrae para implantar um programa de estímulo ao melhoramento genético do rebanho dos cooperados produtores de leite. “Vamos oferecer apoio técnico para que as cooperativas possam aprimorar o sistema de produção do leite, desde a criação dos animais até a industrialização e comercialização de produtos”, explica Luís Alberto.

Saiba mais: Preços em queda: governo goiano reúne cadeia de leite

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.