quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024
Produção industrial fica estagnada em 2023

Produção industrial fica estagnada em 2023

Setor acumula crescimento de apenas 0,2% no ano passado, mas apontou sinais de recuperação no segundo semestre.

2 de fevereiro de 2024

Entre as 16 atividades industriais, a produção de veículos automotores, reboques e carrocerias sofreu a maior queda em 2023

O crescimento da produção industrial brasileira encerrou o ano passado praticamente estagnado. Segundo levantamento do IBGE, divulgado nesta sexta-feira (2/2), no acumulado de janeiro a dezembro houve uma variação positiva de apenas 0,2%, frente ao mesmo período de 2022. Naquele ano, acumulou queda de 0,7%. Portanto, são dois anos consecutivos de resultados pífios para o setor nacional.

Entre as 16 atividades que registraram queda em 2023, as influências mais intensas vieram de veículos automotores, reboques e carrocerias (-7,1%), produtos químicos (-5,9%), máquinas e equipamentos (-7,2%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-10,1%) e equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (-11,0%).

Os principais resultados positivos foram registrados nas indústrias extrativas (7%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (6,1%) e produtos alimentícios (3,7%).

Entre as grandes categorias econômicas, o perfil dos resultados para os 12 meses de 2023 mostrou maior dinamismo para bens de consumo semi e não duráveis (2,1%) e bens de consumo duráveis (1,2%). Bens intermediários (0,4%) também apontou resultado positivo no índice acumulado no ano.

Por outro lado, o segmento de bens de capital (-11,1%) assinalou a única taxa negativa no indicador acumulado do período janeiro-dezembro de 2023.

Sinal de recuperação

Em dezembro de 2023, a produção industrial nacional cresceu 1,1% frente a novembro, na série com ajuste sazonal. Em relação a dezembro de 2022, a indústria brasileira avançou 1%, após quatro meses de crescimento nesta comparação: novembro (0,7%), outubro (0,2%), setembro (0,2%) e agosto (0,4%) de 2023. Neste período acumulou expansão de 2,5%.

No quarto trimestre de 2023, ante o mesmo período do ano anterior, a indústria acumulou alta de 1,1%.
Com esses resultados recentes, a produção industrial ultrapassa o patamar pré-pandemia (0,7% acima de fevereiro de 2020). Mas ainda se encontra 16,3% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011.

Leia também: Nível da produção industrial goiana bate recorde

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.