quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024
Energia solar: Goiás ultrapassa 1,1 GW de capacidade

Energia solar: Goiás ultrapassa 1,1 GW de capacidade

Desde 2012, a geração própria de energia solar já proporcionou ao estado a atração de mais de R$ 5,7 bilhões em investimentos.

5 de fevereiro de 2024

Território goiano responde por 4,4% de toda a potência instalada de energia solar no País

O Brasil ultrapassou a marca de 38 gigawatt (GW) de potência instalada da fonte solar fotovoltaica em 2023. Somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia em telhados, fachadas e pequenos terrenos, o equivalente a 16,8 % da matriz elétrica do País. Segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

De acordo com a entidade, desde 2012, a fonte solar já trouxe ao Brasil mais de R$ 184,3 bilhões em novos investimentos. Mais de R$ 51,7 bilhões em arrecadação aos cofres públicos e gerou cerca de 1,1 milhão de empregos acumulados. Com isso, também evitou a emissão de 46,4 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade.

Goiás está entre os dez estados brasileiros com maior potência instalada de energia solar na geração própria em telhados e pequenos terrenos. E acaba de ultrapassar a marca de 1,1 gigawatt de capacidade instalada. Segundo mapeamento da Absolar, o território goiano responde por 4,4% de toda a potência instalada de energia solar no País.

Investimentos

Atualmente são mais de 122 mil consumidores goianos de energia elétrica que já contam com redução na conta de luz, maior autonomia e confiabilidade elétrica. Desde 2012, a geração própria de energia solar já proporcionou ao estado a atração de mais de R$ 5,7 bilhões em investimentos. Além da geração de mais de 33,8 mil empregos e a arrecadação de mais de R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos.

“Goiás é atualmente um importante centro de desenvolvimento da energia solar de usinas fotovoltaicas em pequenos sistemas instalados pelos próprios consumidores. Também, a fonte representa um enorme potencial de geração de emprego e renda, atração de investimentos privados e colaboração no combate às mudanças climáticas na região”, afirma o coordenador estadual da Absolar em Goiás, Francisco Maiello.

Energia limpa

Ao todo, a produção, que tem origem de energia limpa, representou mais de 70 mil megawatts médios. As hidrelétricas integraram cerca de 58% da capacidade instalada da matriz energética brasileira. Geraram quase 50 mil megawatts para o Sistema Interligado Nacional (SIN), crescimento de 1,2% na comparação com 2022.

Apesar da grande representação, as usinas encerraram o ano com níveis de reservatório confortáveis para o enfrentamento do período sem chuvas em 2024. Já fontes solar e eólica foram responsáveis por mais de 13 mil megawatts médios, número 24% maior se comparado com o mesmo período do ano anterior.

No segmento de geração distribuída de energia, a Absolar destacou que são 26,3 GW de potência instalada da fonte solar. Isso equivale a cerca de R$ 132 bilhões em investimentos desde 2012. Segundo mapeamento da entidade, setor possui mais de 1,1 gigawatt de potência instalada e já garantiu a geração de cerca de 33,8 mil empregos.

Saiba mais: Goiás é o quinto Estado em produção de energia solar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.