terça-feira, 18 de junho de 2024
Goiás é pioneiro na produção de hidrogênio verde

Goiás é pioneiro na produção de hidrogênio verde

Instalada na UHE de Itumbiara, localizada no rio Paranaíba, planta tem capacidade de produzir 100 quilos de hidrogênio verde por dia.

18 de maio de 2024

– Planta piloto de hidrogênio verde localizada na UHE de Itumbiara, na divisa de Goiás e Minas Gerais

Goiás conta com a primeira planta de produção de hidrogênio renovável (H2V) do país, também conhecido como hidrogênio verde. Ela está instalada na usina hidrelétrica em Itumbiara (GO), localizada no rio Paranaíba.

A planta de H2V, inaugurada em dezembro de 2021, tem capacidade de produzir 100 quilos de hidrogênio verde por dia. Desde então, já produziu 5 toneladas. O investimento total na planta piloto somou R$ 48,5 milhões.

A Eletrobras obteve em novembro a certificação da planta de produção de hidrogênio renovável (H2V) da companhia, dada pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O documento comprova que o hidrogênio é produzido a partir de fontes renováveis.

Combustível limpo

A energia utilizada na produção sai da planta fotovoltaica de 800 quilowatt-pico (kWp) instalada ao lado do sistema de hidrogênio e também da usina hidrelétrica de Itumbiara.

Segundo informações da Eletrobras, o caráter híbrido e a combinação dessas duas fontes limpas são os pontos fortes do projeto. A produção de hidrogênio verde em larga escala pode contribuir significativamente para a descarbonização da matriz energética brasileira.

O hidrogênio verde é um combustível limpo que não emite gases poluentes durante sua queima com o CO2 capturado na atmosfera, o chamado processo de eletrólise. Utilizado para diversos fins, como geração de energia elétrica, produção de combustíveis sintéticos e até mesmo como matéria-prima para a indústria química.

“O hidrogênio verde é o vetor da descarbonização dos vários setores. Utilizado diretamente em alguns setores ou então para fazer os combustíveis sintéticos, os combustíveis verdes”, afirma Victor Hugo Ricco, engenheiro da gerência de E-combustível da Eletrobras.

Olhando pro futuro

O hidrogênio verde utiliza energia renovável proveniente da hidrelétrica, painéis solares ou energia eólica. Essa produção, ainda em fase de testes, demonstra a viabilidade da tecnologia e abre caminho para projetos em escala comercial.

Segundo Victor, o hidrogênio verde tem um grande potencial para o Brasil, que possui condições climáticas favoráveis para a produção de energia renovável a baixo custo, o que não acontece com países de outros continentes.

Ricco também destaca a importância da planta piloto – que é o caso da instalada em Itumbiara – para o desenvolvimento da tecnologia. “A planta piloto serve para estudos, otimização de processo”, destaca.

Além disso, ele cita que há a planta de laboratório e a planta comercial, que ainda não existe no Brasil. O hidrogênio verde é um caminho sem volta. “ É um diferencial que faz do Brasil uma futura potência na produção de hidrogênio verde”, conclui.

Vale lembrar que o governo brasileiro se comprometeu a reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 50% até 2030 e alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

Saiba mais: Goiás terá 129 usinas de energia solar até 2029

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.

Últimas Publicações Últimas Publicações