terça-feira, 18 de junho de 2024
Pecuária goiana bate recorde de produção

Pecuária goiana bate recorde de produção

O abate de bovinos em Goiás registrou recorde no primeiro trimestre de 2024, com 1 milhão de cabeças, segundo o IBGE.

6 de junho de 2024

O abate de bovinos em Goiás registrou recorde no primeiro trimestre de 2024, com 1 milhão de cabeças. Um aumento de 35,6% em relação ao mesmo período do ano passado (739,5 mil).

A informação é da Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, do Leite, do Couro, e da Produção de Ovos de Galinha, divulgada nesta quinta-feira (6/6) pelo IBGE.

No Brasil, 9,3 milhões de cabeças bovinas abatidas no 1º trimestre deste ano. Essa marca também representa um recorde, considerando toda a série histórica da pesquisa, iniciada em 1997. Na comparação com o mesmo período do ano passado houve aumento de 24,6%.

A pesquisa revela também que Goiás registrou o abate de 125,9 milhões de cabeças de frango no primeiro trimestre deste ano, queda de 2,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Mas alta de 7,1% em relação ao 4º trimestre de 2023.

Com o resultado, Goiás se consolida com o quinto maior abate de frangos do país, à frente de Minas Gerais (118,6 milhões) e atrás de São Paulo (168,7 milhões). Paraná é o estado campeão de abate de frangos, registrando 550,7 milhões de animais abatidos no primeiro trimestre de 2024.

No país, no 1º trimestre de 2024, foram abatidas 1,59 bilhão de cabeças de frangos.

Leite

Já a produção de leite caiu e o preço subiu. Entretanto, o preço do leite pago ao produtor foi menor do que o registrado no primeiro trimestre do ano anterior. O leite captado no primeiro trimestre deste ano chegou a 558 milhões de litros, alta de 4,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

No primeiro trimestre deste ano, o preço do leite em Goiás chegou a R$ 2,33, sendo que no quarto trimestre de 2023, o preço era de R$ 2,09, e no primeiro trimestre de 2023, o preço era de R$ 2,88.

Ou seja, registrada alta de 11,5% entre o primeiro trimestre de 2024 e o trimestre imediatamente anterior. Porém com queda de 19,1% entre os primeiros trimestres de 2024 e de 2023, respectivamente.
Essas variações são nominais, ou seja, não levam em conta valores deflacionados, mas sim os valores correntes em cada período.

Suínos

Em relação ao abate de suínos, no primeiro trimestre de 2024, foram abatidas 472,8 mil cabeças em Goiás, registrando queda de 3,5% em relação ao quarto trimestre de 2023, e de 1,9% em relação ao primeiro trimestre de 2023. O estado se mantém entre os oito maiores produtores do país.

Ovos de galinha

A produção goiana de ovos de galinha no primeiro trimestre deste ano foi de 58,6 milhões de dúzias, com alta de 1,4% em relação ao primeiro trimestre de 2023 (57,8 milhões) e de 0,5% em relação ao último trimestre de 2023 (58,3 milhões de dúzias).

Com esse resultado, o estado de Goiás alcança a segunda maior produção de ovos da série histórica, iniciada no primeiro trimestre de 1987, atrás apenas do total registrado no terceiro trimestre de 2023.

Couro

Goiás também foi destaque na Pesquisa Trimestral do Couro. No Brasil, os curtumes declararam ter recebido 9,321 milhões de peças inteiras de couro cru no primeiro trimestre.

Foram verificados aumentos em 13 das 17 Unidades da Federação que possuíam curtumes elegíveis pelo universo da pesquisa.

As altas mais expressivas, em estados com mais de 5% de participação na aquisição nacional, ocorreram em Goiás (+461,49 mil peças), Mato Grosso (+319,34).

Leia também: Rebanho: Goiás perde a 2ª posição na pecuária

O portal EMPREENDER EM GOIÁS tem como principal objetivo incentivar, apoiar e divulgar os empreendedores goianos com conteúdos, análises, pesquisas, serviços e oportunidades de negócios.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.

Últimas Publicações Últimas Publicações