quinta-feira, 18 de julho de 2024
Plano Safra desaponta os produtores goianos

Plano Safra desaponta os produtores goianos

O governo não destacou no anúncio o maior problema hoje dos produtores rurais: a solução para o grande endividamento do setor.

4 de julho de 2024

Luís Alberto, da OCB/GO: “O problema do agricultor não será apenas na parte do custeio/financiamento”

O setor agrícola goiano ficou desapontado com o montante de recursos disponibilizados para o Plano Safra 20024/25, anunciados nesta quarta-feira (3/7) pelo governo federal. Além da divulgação com atraso, os recursos de R$ 400,5 bilhões ficaram aquém das necessidades. Embora 10% superiores ao desembolso do ano passado.

O governo não destacou no anúncio o maior problema hoje dos produtores rurais: a solução para o grande endividamento do setor. Além da redução dos recursos controlados.

O presidente do Sistema OCB/GO, Luís Alberto Pereira, reconhece que, em termos de recursos, houve um avanço na liberação do crédito. Mas ficou inferior ao montante sugerido ao governo, em janeiro passado, de no mínimo R$ 570 bilhões.

Ele destaca que os produtores rurais, de um modo em geral, estão muito endividados devido as quebras de safras e ao achatamento dos preços das commodities agrícolas. “Então, o problema do agricultor não será apenas na parte do custeio/financiamento”, alerta Luís Alberto.

Desafio

O gerente de Estudos Técnicos e Econômicos da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Edson Novaes, acredita que os produtores rurais terão um grande desafio este ano para dar continuidade aos seus negócios.

Cita que dos R$ 400,5 bilhões anunciados pelo governo, apenas R$ 189,1 bilhões (47,2%) são de recursos controlados. Ou seja, subsidiados pelo governo. No ano passado, eles chegaram a 51%.

No restante do montante, os tomadores de crédito não terão como prever o custo do financiamento. Isto elevará os custos de produção.

Além disso, acrescenta Edson, o setor agrícola continuará à mercê das intempéries climáticas sem ter como segurar a sua produção. Isto porque, foram anunciados apenas R$ 1,16 bilhão, enquanto o setor tinha solicitado R$ 3 bilhões para o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural.

O Plano Safra 2024/25 prevê recursos de R$ 400,5 bilhões para o financiamento da agricultura empresarial e R$ 76 bilhões para a agricultura familiar. Há também R$ 106 bilhões em recursos de Letras de Crédito do Agronegócio para emissões de Cédulas do Produtor Rural, como complemento do dinheiro para o setor.

Saiba mais: Agronegócio emprega mais de 1 milhão de pessoas em Goiás

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não será publicado.